A pesquisa científica na PUC Minas é organizada pela Pró-Reitoria de Pesquisa e de Pós-Graduação (PROPPG) e o financiamento dos estudos conta com o fomento de agências públicas como a Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). A PUC Minas também mantem um Fundo de Incentivo à Pesquisa (FIP) para financiar estudos e pesquisas.

As pesquisas científicas no Instituto de Ciências Exatas e Informática são desenvolvidas por grupos de professores e estudantes de graduação e de pós-graduação vinculados aos quatro departamentos que integram o ICEI: Ciência da Computação (DCC), Engenharia de Software e Sistemas de Informação (DES), Física e Química (DFQ) e Matemática e Estatística (DME).

Os grupos de pesquisa do ICEI são cadastrados no Diretório de Grupos de Pesquisa no Brasil dentro da Plataforma Lattes do CNPq

 

O ICEI, por intermédio da PROPPG, incentiva a realização de pesquisas por professores e alunos de graduação e de pós-graduação. A formação de pesquisadores na PUC Minas é fomentada em três principais modalidades:

1 - PROBIC/PUC Minas – Programa de Bolsa de Iniciação Científica

Destina fundo próprio para financiar projetos apresentados por alunos sob a orientação de professores pesquisadores do quadro permanente da Universidade. O Edital do PROBIC é lançado anualmente pela PROPPG, entre agosto e setembro. Os projetos aprovados iniciam-se em março do ano subsequente, com duração de 12 meses.

2 - FIP/PUC Minas – Fundo de Incentivo à Pesquisa da PUC Minas

Destina fundo próprio para financiar projetos apresentados por professores e os alunos podem ser bolsistas nos mesmos. O Edital FIP é lançado semestralmente pela PROPPG, no primeiro mês do semestre letivo. Os projetos aprovados iniciam-se em agosto e fevereiro, respectivamente, com duração de 12 meses.

3 - PIBIC-PIBIT/CNPq - Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) e do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI).

Destina fundo próprio para financiar projetos apresentados por professores doutores e os alunos podem ser bolsistas nos mesmos. O edital PIBIC-PIBIT/CNPq é lançado anualmente pela PROPPG, entre a segunda quinzena de maio e a primeira quinzena de junho. A vigência das bolsas é de agosto a julho do ano subsequente. Acesse a área Pesquisa e Pós-graduação do site da PUC Minas para saber mais sobre os editais de pesquisa.

 

O Seminário de Iniciação Científica, Tecnológica e Inovação da PUC Minas acontece em duas etapas: na primeira etapa todos os alunos apresentam os seus projetos de pesquisa para seleção no âmbito do ICEI ou da unidade. Os trabalhos selecionados são apresentados na segunda etapa no âmbito da universidade, que premia os que se destacam como os melhores. O evento é avaliado CNPq e gera uma publicação indexada dos trabalhos de pesquisa inscritos no seminário em livro editado pela Editora PUC Minas. Acesse a área Seminário de Iniciação Científica do site da PUC Minas para saber mais sobre as inscrições e o evento.

 

Circo da Física

O “Circo da Física” é um dos projetos integrantes da estrutura curricular do Curso de Física da PUC Minas e executado em conjunto com o Departamento de Física e Química da PUC Minas.

No projeto, os alunos da disciplina “Prática de Ensino de Física” planejam, desenvolvem e executam projetos experimentais relacionados ao ensino-aprendizagem da Física para apresentar aos estudantes da educação básica e à população em geral, com o objetivo de levar a ciência às crianças e despertar o interesse pela Física. O Projeto teve início em outubro de 2003 e, desde então, visita escolas do ensino fundamental de Belo Horizonte. A proposta é fazer com que as crianças no futuro possam interagir facilmente com o assunto.

A disciplina “Práticas de Ensino” prepara os alunos do Curso de Física para o ensino e a divulgação da Física através da construção e utilização de experimentos, utilizando basicamente materiais de sucata (vidros, plásticos, madeiras, metais, etc.), bem como criação de vídeos e produção de palestras, nos quais os fenômenos físicos são apresentados de modo a ressaltar os aspectos lúdicos e atrativos.

O projeto "Circo da Física" visa possibilitar aos alunos do curso a construção da linguagem adequada ao público-alvo que se deseja através de uma apresentação dos conceitos da Física, sem a necessidade do formalismo acadêmico, possibilitando a interação do público-alvo com os alunos do curso, contribuindo assim para a sua formação profissional ao mesmo tempo em que oferece aos estudantes do ensino fundamental e médio, das escolas públicas e privadas, contato com os fenômenos naturais e os conceitos a eles relacionados, levando ciência às crianças e despertando nelas o interesse pela Física.

Site do projeto: Circo da Física

GAIA

O GAIA é o Grupo de Astronomia e Astrofísica da PUC Minas, o qual desenvolve atividades de pesquisa nas áreas de Ensino de Astronomia e Astrofísica Galáctica e Cosmológica.

Na área do ensino de Astronomia o propósito é promover uma integração entre a Universidade e a comunidade através da difusão e divulgação científica usando o ensino informal. São estudadas questões com relação a este tipo de ensino: ele é viável em ambientes informais ou temos apenas a fixação de aspectos superficiais? O grupo também realiza a produção de kits de material didático e softwares para ensino de Astronomia no Ensino Fundamental.

O objetivo é disseminar o conhecimento da Astronomia e fundamentar uma cultura científica geral. Na área de Astrofísica Galáctica as pesquisas se concentram em teses cosmológicos, fazendo modelos para distribuição de matéria opaca nas galáxias e o estudo da função de luminosidade e sua evolução.

Linhas de pesquisa:

  • Astronomia
  • Astrofísica Galáctica
  • Cosmológica

Site do projeto: GAIA

 

LICAP

O LICAP (Laboratório de Inteligência Computacional Aplicada) tem como objetivo a aplicação da ciência em problemas reais, buscando testar, apurar e desenvolver técnicas, procedimentos e métodos na área de Inteligência Computacional para assim resolver questões diversas. Busca-se assim unir a teoria e a prática orientando tal união através da ciência.

Linhas de pesquisa:

  • Descoberta de Conhecimento em Banco de Dados
  • Mineração de Dados
  • Redes Neurais Artificiais
  • Análise Formal de Conceitos
  • Verificação Formal de Sistemas
  • Ontologia

Site do projeto:  LICAP

 

VIPLAB

O VIPLAB (Laboratório de Processamento de Informação Áudio-Visual) tem por objetivo estudar/desenvolver técnicas relacionadas ao processamento de informação áudio-visual. A proposta é desenvolver ferramentas multimídia que auxiliem as disciplinas presenciais, e até mesmo estudar novos paradigmas na relação ensino-aprendizagem por meio de ferramentas visuais. Baseia-se também no desenvolvimento de novas técnicas/métodos para o processamento digital de imagens/vídeo, a resolução de problemas com o uso de técnicas já conhecidas também são consideradas.

Linhas de pesquisa:

  • Ferramentas de apoio ao ensino
  • Processamento de imagens/vídeo Mineração de Dados

Site do projeto: VIPLAB

 

IRIS

O IRIS (Laboratório de Sistemas Inteligentes para Tratamento de Informação) tem como objetivo investigar problemas relacionados a engenharia de dados, processamento em linguagem natural, recuperação de informação e descoberta de conhecimento, propondo e avaliando experimentalmente algoritmos para solucionar os problemas investigados. São três as principais linhas de pesquisa do IRIS:

  • Engenharia de Dados: desenvolvimento de técnicas para armazenamento e recuperação eficientes de grandes volumes de dados heterogêneos, incluindo abordagens de modelagem e integração de dados e bancos de dados relacionais e não relacionais;
  • Recuperação de Informação: desenvolvimento de técnicas supervisionadas e não supervisionadas para coleta, indexação, armazenamento, tratamento e recuperação de informação, incluindo temas relacionados a máquinas de busca, sistemas de recomendação e abordagens de aprendizagem para ranking (learning to rank);
  • Descoberta de Conhecimento: desenvolvimento de técnicas supervisionadas e não supervisionadas para modelagem, visualização e descoberta de padrões em grandes volumes de dados, em especial os disponíveis na Web, incluindo extração de informação, reconhecimento e classificação de entidades, processamento em linguagem natural, reconhecimento de padrões, modelos de predição e análise de sentimentos.

Linhas de pesquisa:

  • Engenharia de Dados
  • Recuperação da Informação
  • Descoberta de Conhecimento

Site do projeto: IRIS